Category Archives: Imprensa Internacional

Director do Libération demite-se

O director do LibérationNicolas Demorand, anunciou, esta quinta-feira, a sua demissão na sequência de vários meses de tensões com a redacção, que lhe valeram, inclusivamente, quatro moções de censura. O cenário tornou-se insustentável depois da tomada de posição dos trabalhadores que recusaram, liminarmente, o plano de reestruturação apresentado pelos accionistas.

Num email enviado à redacção, Demorand diz esperar que a sua saída facilite o diálogo entre jornalistas e administração para que o jornal francês, que este ano assinala o 40.º aniversário, possa encontrar o seu caminho.

«Chers tous, ce mail pour vous prévenir que j’ai démissionné ce matin. J’espère de tout cœur que mon départ facilitera le dialogue qui doit être renoué pour sortir le journal de la crise qu’il traverse. J’ai passé à vos côtés trois années enrichissantes, enthousiasmantes et parfois rudes. Je ne les oublierai pas. Je vous souhaite le meilleur. Amitiés»

Disponível em: Nicolas Demorand démissionne de la présidence de «Libération»

«Somos um jornal»

Libération, edição de 8 de Fevereiro de 2014

Libération, edição de 8 de Fevereiro de 2014

Os jornalistas do francês Libération deram um murro na mesa e insurgiram-se contra as intenções dos accionistas que pretendem transformar a redacção do órgão de comunicação social, que este ano comemora 40 anos de existência, numa espécie de espaço cultural e social.

Ao longo de cinco páginas são apresentadas as propostas da nova estrutura accionista, bem como a resposta da equipa de 290 trabalhadores ao projecto de remodelar a sede do jornal em Paris.

Apesar da greve que os trabalhadores cumpriram na última quinta-feira, o novo grupo detentor do título já apresentou o programa de mudança do jornal e pretendem instalar «um espaço cultural, uma área de conferências com estúdio de televisão, uma rádio, uma redacção digital, um restaurante, um bar e até uma incubadora de start up».

Disponivel em: «Nous Sommes un jornal»

Novo director do El Mundo acredita que o futuro é digital

O novo director do El Mundo, Casimiro García-Abadillo, falou à redacção no dia em que iniciou funções apontando, especificamente, para o digital como o caminho a seguir pelo periódico espanhol.

Ainda assim, o responsável escolhido para substituir Pedro J. Ramírez não descura a edição em papel, a principal fonte de viabilidade do jornal que é, actualmente, o segundo título com maior audiência em banca em Espanha.

«O futuro não está escrito. O futuro é nosso. O futuro é digital. A liderança do nosso site é uma marca de identidade do jornal e o caminho que temos de seguir. Mas não podemos deixar de dar a atenção ao papel, que hoje continua a ser a nossa principal fonte de receita».

Pedro J. Ramírez deixa El Mundo

Pedro J. Ramírez  vai deixar de ocupar a cadeira de director do El Mundo, o segundo jornal espanhol com maior número de vendas em banca, depois de 25 anos à frente dos destinos do título que ajudou a fundar.

Segundo a Reuters, a demissão de Ramírez estará relacionada com a postura editorial crítica para com o governo de Mariano Rajoy. O El Mundo será, a partir de hoje, dirigido por Casimiro García-Abadillo.

«Informar de lo que ocurre sin sesgos, con compromiso y rigor pero también con humildad, sin aspiraciones mesiánicas ni intereses empresariales, esto es lo que ahora me motiva. Algo muy distinto a lo que llevo haciendo».

https://twitter.com/MDiaz_elmundo/status/428945369381470208/photo/1

https://twitter.com/MDiaz_elmundo/status/428945369381470208/photo/1

O que é que está errado?

Primeiras páginas no dia seguinte à eleição de Cristiano Ronaldo como melhor jogador do Mundo para a FIFA

Primeiras páginas no dia seguinte à eleição de Cristiano Ronaldo como melhor jogador do Mundo para a FIFA

Le Monde apaga as velas

O francês Le Monde assinala hoje o seu 69º aniversário. Nascido a 19 de Dezembro de 1944, para ser um diário de referência no período pós-guerra,  o Le Monde mantém a tradição de ter como accionistas da empresa alguns dos seus jornalistas, sendo também reconhecido pelos  artigos de opinião e análise que publica nas suas páginas, normalmente assinados por autoridades na matéria.

Aqui fica a primeira manchete do Le Monde disponibilizada pelo periódico  na sua conta oficial de facebook.

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10152078316232590&set=a.10150463583152590.393463.14892757589&type=1&theater

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10152078316232590&set=a.10150463583152590.393463.14892757589&type=1&theater

Via António Cunha e Vaz

O fim dos jornais

A Future Exploration prespectiva o fim da importância da imprensa escrita nos Estados Unidos par ao ano 2017. O estudo abrange os cinco continentes e prevê que a morte dos jornais em formato papel em Portugal ocorra por volta do ano 2028.

Os factores que sustentam os resultados estão divididos em dois grupos: globais (desenvolvimentos/custo associado às plataformas móveis) e nacionais (económicos, demográficos, governamentais, hábitos de consumo, etc., etc., etc…).

http://futureexploration.net/Newspaper_Extinction_Timeline.pdf

http://futureexploration.net/Newspaper_Extinction_Timeline.pdf

http://futureexploration.net/Newspaper_Extinction_Timeline.pdf

http://futureexploration.net/Newspaper_Extinction_Timeline.pdf

Disponível em: Newspaper extinction timeline

Via João Canavilhas

Aproveitar o momento

http://edition.cnn.com/2013/07/22/world/europe/uk-royal-baby/

http://edition.cnn.com/2013/07/22/world/europe/uk-royal-baby/

https://www.google.pt/url?sa=i&rct=j&q=&esrc=s&source=images&cd=&cad=rja&docid=Gg4Gk-MQx5c5GM&tbnid=RZj5rwxOk94ipM:&ved=0CAUQjRw&url=http%3A%2F%2Fenglish.ruvr.ru%2Fnews%2F2013_07_23%2FThe-Son-how-British-papers-marked-the-birth-of-the-future-King-3766%2F&ei=oW7wUbuBHsWb1AWOooDADg&bvm=bv.49784469,d.ZGU&psig=AFQjCNHW_qi6xPGbfm0ulljVLUnZ_iv1LA&ust=1374796204256553

http://english.ruvr.ru/news/2013_07_23/The-Son-how-British-papers-marked-the-birth-of-the-future-King-3766/

O jornal inglês The Sun, que tem uma das maiores taxas de tiragens à escala mundial, assinalou o nascimento do Príncipe de Cambridge, terceiro na linha de sucessão ao trono britânico, com uma subtil, mas eficaz, mudança de logótipo, aproveitando a homofonia do nome do tablóide com a palavra «son» (filho em inglês) para criar a primeira página mais original da imprensa britânica. A «nova imagem» figurou na edição em papel e no portal do jornal.

Cultura doentia

O britânico Right Honourable Lord Justice Leveson (título oficial) produziu um relatório devastador – publicado há duas semanas e totalmente acessível online - que caracteriza o momento em que o jornalismo ultrapassou todos os limites legais e éticos, dando origem a uma cultura profissional doentia e incontrolável.

Produzido no Reino Unido, o fenómeno não é exclusivo nem está confinado a sectores dos tablóides britânicos, abalados, recentemente, pelo escândalo do News of the World de Murdoch. Retrata uma ameaça global e isso é muito mais preocupante.

“A liderança a todo o custo provoca, obviamente, por parte da cadeia hierárquica e de decisão das empresas de media, uma concentração em histórias sensacionalistas, que exigem, na maior parte das vezes, a revelação de pormenores privados e até íntimos” .

Disponível em: An Inquiry into the Culture, Practices and Ethics of the Press:

El País e Le Monde buscam novos mercados

O El País procura novos leitores/mercados e, por isso, terá, brevemente, uma edição em Português. Com os mesmos objectivos, o Le Monde está a ponderar uma oferta com conteúdo em inglês. A internacionalização como solução para o estrangulamento.

Para ler aqui: El País tendrá una edición en portugués y Le Monde, en inglés