Category Archives: Ciberjornalismo

Novo site da Time direccionado para o mobile

A revistas Time reformulou o design do seu site oficial, mas engane-se quem pensa que se trata de uma mera operação de cosmética. Além das evidentes mudanças gráficas, com a inclusão de mais vídeos e fotografias, as alterações apontam uma aposta clara nos acessos através dos dispositivos móveis (tablets e smartphones) que, actualmente, representam metade das ligações ao portal da news magazine.

«Our purpose? It’s in our very name: time is valuable. So the new site is designed especially for busy, mobile readers. In fact, our data suggest that nearly half of you are currently reading this on a smartphone or tablet».

Disponível em: A New TIME

Paywalls não vão salvar jornais

Más notícias para os defensores das paywalls como poção mágica capaz de resolver as dificuldades financeiras que envolvem a (grande) maioria dos jornais. Um artigo de Tim Burrowes, publicado pelo observatório de Marketing e Media «Mumbrella», coloca um ponto final na ambição de salvar os jornais com as assinaturas digitais.

As conclusões do estudo resultam da análise ao mercado australiano que «apenas» conseguiu cativar 60000 utilizadores pagantes. Como seria, por exemplo, em Portugal?

Disponível em: The data is finally in. Newspapers aren’t going to get enough digital subscribers

@Via Pedro Jerónimo

World Post aposta em elenco de luxo

Foi apresentado, no Fórum Económico de Davos, que se realizou no final do mês de Janeiro, um novo jornal digital de âmbito mundial que tem na sua extensa lista de colaboradores notáveis a principal arma de arremesso.

O World Post, que surge de uma parceria entre o Huffington Post e o Berggruen Institute on Governance, propriedade do investidor Nicolas Berggruen, terá nas suas páginas a assinatura do ex-primeiro ministro britânico Tony Blair, do fundador da Microsoft Bill Gates, do líder espiritual Dalai Lama, do presidente da Google Eric Schmidt, do fundador do eBay Pierre Omidyar e do ex-presidente brasileiro Fernando Henrique Cardoso, entre outros.

Além da forte componente associada à opinião, o World Post procura seguir o modelo do seu subsidiário Huffington Post – que é seguindo por, sensivelmente, 40 milhões de internautas só nos EUA - com o objectivo de abordar a actualidade de uma perspectiva global, para, depois, suscitar o debate em torno de temas ligados à política e economia.

Disponível em: Arianna Huffington announces launch of World Post news website

Novo director do El Mundo acredita que o futuro é digital

O novo director do El Mundo, Casimiro García-Abadillo, falou à redacção no dia em que iniciou funções apontando, especificamente, para o digital como o caminho a seguir pelo periódico espanhol.

Ainda assim, o responsável escolhido para substituir Pedro J. Ramírez não descura a edição em papel, a principal fonte de viabilidade do jornal que é, actualmente, o segundo título com maior audiência em banca em Espanha.

«O futuro não está escrito. O futuro é nosso. O futuro é digital. A liderança do nosso site é uma marca de identidade do jornal e o caminho que temos de seguir. Mas não podemos deixar de dar a atenção ao papel, que hoje continua a ser a nossa principal fonte de receita».

O futuro dos media e do jornalismo

Transformações no Porto24

O Porto24 apresentou hoje o novo design do seu portal. A comemorar o seu terceiro aniversário, o ciberjornal de informação regional fez mais do que um simples refresh de imagem: reforçou a opinião, com a angariação de novos cronistas, fez nascer novas secções (Memória) e, ainda, apostou forte nas redes sociais, onde, de resto, foi anunciada toda a transformação, e no multimédia.

O maior destaque talvez seja o espaço «Gozto», num novo directório de produtos e serviços especialmente vocacionado para o comércio tradicional e para os produtos inovadores.

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10152134788563419&set=a.442634078418.243605.287312138418&type=1&theater

Nova imagem do portal http://porto24.pt/

Disponível em: Novo Porto24

O futuro dos media é tecnológico

Afinal, o estrangulamento económico e financeiro que aflige os media noticiosos ainda não atingiu o clímax. A opinião é de Frédéric Filloux que antecipa um agravamento do cenário fruto do contínuo afrouxamento do mercado publicitário que tirará de circulação mais alguns títulos.

Ainda assim, nem tudo é negro. Ao ler o texto assinado pelo director-geral para as operações digitais da Les Echos, o maior grupo de media francês, já se espreita uma luz ao fundo do túnel, perspectivando melhorias resultantes, entre outros factores, do aparecimento de novas estratégias publicitárias e da implementação da política do pay-per-view. 

http://www.mondaynote.com/wp-content/uploads/2014/01/303-J-curve.png?d81f8f

http://www.mondaynote.com/wp-content/uploads/2014/01/303-J-curve.png?d81f8f

«2014 will be the year of media companies realizing they must morph into technology companies — or embrace, one way another, the technologies that guarantee their survival».

Disponível em: Surviving 2014

Apresentado o «Observador»

Foi hoje anunciado formalmente o nascimento de um novo projecto jornalístico exclusivamente online, cujo arranque está projectado para o primeiro semestre deste ano.

O Observador parece uma aposta em contra-ciclo, mas faz sentido se for tido em consideração o crescimento na procura de informação através de dispositivos móveis .

A estrutura accionista do novo ciberjornal contempla os nomes dos empresários António Carrapatoso, Alexandre Relvas, João Talone, Filipe de Botton e Luís Amaral. O antigo director do Público, José Manuel Fernandes, assumirá o cargo de publisher, enquanto David Dinis até agora editor de política do semanário Sol, será o director do Observador que está, actualmente, a recrutar jornalistas, webdesigners e front-end developers.

«O Observador tem um ponto de vista editorial: defende sem ambiguidades a democracia representativa, a economia de mercado e uma sociedade aberta e global – por isso estimulará debates públicos e não hesitará em tomar posição».

O fim dos jornais

A Future Exploration prespectiva o fim da importância da imprensa escrita nos Estados Unidos par ao ano 2017. O estudo abrange os cinco continentes e prevê que a morte dos jornais em formato papel em Portugal ocorra por volta do ano 2028.

Os factores que sustentam os resultados estão divididos em dois grupos: globais (desenvolvimentos/custo associado às plataformas móveis) e nacionais (económicos, demográficos, governamentais, hábitos de consumo, etc., etc., etc…).

http://futureexploration.net/Newspaper_Extinction_Timeline.pdf

http://futureexploration.net/Newspaper_Extinction_Timeline.pdf

http://futureexploration.net/Newspaper_Extinction_Timeline.pdf

http://futureexploration.net/Newspaper_Extinction_Timeline.pdf

Disponível em: Newspaper extinction timeline

Via João Canavilhas

Livros sobre ciberjornalismo

O blog Online Journalism reúne uma selecçao de livros sobre ciberjornalismo divididos em diversas categorias: base teórica, histórica e conceptual; prática do ciberjornalismo; segurança online; ética, distribuição, direito e empreendedorismo e multimedia.

Todos os exemplares estão disponíveis para compra online. Rigorosamente a não perder! Disponível aqui: An online journalism reading list