Category Archives: Jornalistas

Os 24 anos do Público

http://www.publico.pt/hoje#content

http://www.publico.pt/hoje#content

Vigilantes de redes sociais

Os jornalistas especializados em desporto vivem, diariamente, um enorme drama: ter de fazer notícias sem sequer pôr olhos em cima dos protagonistas. Os clubes de futebol, e as respectivas equipas, vivem, cada vez mais, numa espécie de clausura conventual imposta pelas políticas de comunicação altamente restritiva dos clubes.

É por isso que hoje os jornalistas têm de vestir o fato de vigilantes de redes sociais à procura de discursos directos. O director de A Bola, Vítor Serpa, explica todo o processo (ver abaixo). 

Jornal A Bola, edição de 15 de Fevereiro de 2014, página 30, crónica «Hoje é Sábado».

Jornal A Bola, edição de 15 de Fevereiro de 2014, página 30, crónica «Porque hoje é Sábado».

Director do Libération demite-se

O director do LibérationNicolas Demorand, anunciou, esta quinta-feira, a sua demissão na sequência de vários meses de tensões com a redacção, que lhe valeram, inclusivamente, quatro moções de censura. O cenário tornou-se insustentável depois da tomada de posição dos trabalhadores que recusaram, liminarmente, o plano de reestruturação apresentado pelos accionistas.

Num email enviado à redacção, Demorand diz esperar que a sua saída facilite o diálogo entre jornalistas e administração para que o jornal francês, que este ano assinala o 40.º aniversário, possa encontrar o seu caminho.

«Chers tous, ce mail pour vous prévenir que j’ai démissionné ce matin. J’espère de tout cœur que mon départ facilitera le dialogue qui doit être renoué pour sortir le journal de la crise qu’il traverse. J’ai passé à vos côtés trois années enrichissantes, enthousiasmantes et parfois rudes. Je ne les oublierai pas. Je vous souhaite le meilleur. Amitiés»

Disponível em: Nicolas Demorand démissionne de la présidence de «Libération»

Portugal com menos liberdade de imprensa

De acordo com o relatório anual da organização Repórteres sem Fronteiras, que que contempla 180 países, Portugal teve menos liberdade de imprensa no ano passado do que em 2012, ocupando, actualmente, o 30.º lugar do ranking, duas posições acima do que no ano anterior.

Na base da elaboração do documento está a avaliação de diversos indicadores, como pluralismo, transparência, legislação independência e segurança nos órgãos de comunicação social.

O topo da tabela continua a ser ocupado por países nórdicos, Finlândia (1.º), Holanda (2.º) e Noruega (3.º), enquanto os últimos lugares pertencem ao Turquemenistão (178.º), Coreia do Norte (179.º) e Eritreia (180.º).

Disponivel em: World Press Freedom Index 2014

Curso «Storytelling no Jornalismo»

O departamento de Ciências da Comunicação da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa vai promover o curso livre «Storytelling no Jornalismo – Jornalismo Narrativo na Era Digital».

A iniciativa decorre entre 18 de Março e 20 de Maio, será ministrada por António GranadoDora Santos Silva, ambos professores daquela instituição, e a propina varia entre os 120 e os 200 euros.

Mais informações:  Storytelling no jornalismo – Jornalismo Narrativo na Era Digital

O jornalismo desportivo em ano de Mundial

O Código Cambridge, um laboratório de estudos que incide a sua atenção sobre os media desportivos, lançou o livro digital «El periodismo deportivo en año mundialista».

A iniciativa reúne os depoimentos de 14 jornalistas especializados em desporto e pretende alertar para os desafios da profissão no ano em que o Mundo estará, seguramente, com olhos no Mundial de Futebol que se realiza no início de Verão no Brasil.

Download gratuito:“EL PERIODISMO DEPORTIVO EN AÑO MUNDIALISTA”

«Somos um jornal»

Libération, edição de 8 de Fevereiro de 2014

Libération, edição de 8 de Fevereiro de 2014

Os jornalistas do francês Libération deram um murro na mesa e insurgiram-se contra as intenções dos accionistas que pretendem transformar a redacção do órgão de comunicação social, que este ano comemora 40 anos de existência, numa espécie de espaço cultural e social.

Ao longo de cinco páginas são apresentadas as propostas da nova estrutura accionista, bem como a resposta da equipa de 290 trabalhadores ao projecto de remodelar a sede do jornal em Paris.

Apesar da greve que os trabalhadores cumpriram na última quinta-feira, o novo grupo detentor do título já apresentou o programa de mudança do jornal e pretendem instalar «um espaço cultural, uma área de conferências com estúdio de televisão, uma rádio, uma redacção digital, um restaurante, um bar e até uma incubadora de start up».

Disponivel em: «Nous Sommes un jornal»

World Post aposta em elenco de luxo

Foi apresentado, no Fórum Económico de Davos, que se realizou no final do mês de Janeiro, um novo jornal digital de âmbito mundial que tem na sua extensa lista de colaboradores notáveis a principal arma de arremesso.

O World Post, que surge de uma parceria entre o Huffington Post e o Berggruen Institute on Governance, propriedade do investidor Nicolas Berggruen, terá nas suas páginas a assinatura do ex-primeiro ministro britânico Tony Blair, do fundador da Microsoft Bill Gates, do líder espiritual Dalai Lama, do presidente da Google Eric Schmidt, do fundador do eBay Pierre Omidyar e do ex-presidente brasileiro Fernando Henrique Cardoso, entre outros.

Além da forte componente associada à opinião, o World Post procura seguir o modelo do seu subsidiário Huffington Post – que é seguindo por, sensivelmente, 40 milhões de internautas só nos EUA - com o objectivo de abordar a actualidade de uma perspectiva global, para, depois, suscitar o debate em torno de temas ligados à política e economia.

Disponível em: Arianna Huffington announces launch of World Post news website

Novo director do El Mundo acredita que o futuro é digital

O novo director do El Mundo, Casimiro García-Abadillo, falou à redacção no dia em que iniciou funções apontando, especificamente, para o digital como o caminho a seguir pelo periódico espanhol.

Ainda assim, o responsável escolhido para substituir Pedro J. Ramírez não descura a edição em papel, a principal fonte de viabilidade do jornal que é, actualmente, o segundo título com maior audiência em banca em Espanha.

«O futuro não está escrito. O futuro é nosso. O futuro é digital. A liderança do nosso site é uma marca de identidade do jornal e o caminho que temos de seguir. Mas não podemos deixar de dar a atenção ao papel, que hoje continua a ser a nossa principal fonte de receita».

Manchester: o pólo de criatividade digital

Disponível em: A classe e a modernidade do “Made in England”