Monthly Archives: February 2014

Paywalls não vão salvar jornais

Más notícias para os defensores das paywalls como poção mágica capaz de resolver as dificuldades financeiras que envolvem a (grande) maioria dos jornais. Um artigo de Tim Burrowes, publicado pelo observatório de Marketing e Media «Mumbrella», coloca um ponto final na ambição de salvar os jornais com as assinaturas digitais.

As conclusões do estudo resultam da análise ao mercado australiano que «apenas» conseguiu cativar 60000 utilizadores pagantes. Como seria, por exemplo, em Portugal?

Disponível em: The data is finally in. Newspapers aren’t going to get enough digital subscribers

@Via Pedro Jerónimo

Emigração e tecnologia fazem imagem do ano

A World Press Photo escolheu como fotografia do ano uma imagem que retrata emigrantes africanos na costa da cidade de Djibouti, à noite, elevando os telemóveis na tentativa de capturar uma rede de baixo custo da vizinha Somália.

Intitulada Signal, a imagem data de 26 de Fevereiro, foi publicada na revista National Geographic  e saiu da objectiva de John Stanmeyer que trabalha, quase exclusivamente, para a conceituada publicação norte-americana, mas que, também, já fez fotografia para a revista Time.

African migrants on the shore of Djibouti city at night, raising their phones in an attempt to capture an inexpensive signal from neighboring Somalia—a tenuous link to relatives abroad. Djibouti is a common stop-off point for migrants in transit from such countries as Somalia, Ethiopia and Eritrea, seeking a better life in Europe and the Middle East.

http://www.worldpressphoto.org/awards/2014/contemporary-issues/john-stanmeyer

Disponível em: 2014 Photo Contest

Vigilantes de redes sociais

Os jornalistas especializados em desporto vivem, diariamente, um enorme drama: ter de fazer notícias sem sequer pôr olhos em cima dos protagonistas. Os clubes de futebol, e as respectivas equipas, vivem, cada vez mais, numa espécie de clausura conventual imposta pelas políticas de comunicação altamente restritiva dos clubes.

É por isso que hoje os jornalistas têm de vestir o fato de vigilantes de redes sociais à procura de discursos directos. O director de A Bola, Vítor Serpa, explica todo o processo (ver abaixo). 

Jornal A Bola, edição de 15 de Fevereiro de 2014, página 30, crónica «Hoje é Sábado».

Jornal A Bola, edição de 15 de Fevereiro de 2014, página 30, crónica «Porque hoje é Sábado».

Director do Libération demite-se

O director do LibérationNicolas Demorand, anunciou, esta quinta-feira, a sua demissão na sequência de vários meses de tensões com a redacção, que lhe valeram, inclusivamente, quatro moções de censura. O cenário tornou-se insustentável depois da tomada de posição dos trabalhadores que recusaram, liminarmente, o plano de reestruturação apresentado pelos accionistas.

Num email enviado à redacção, Demorand diz esperar que a sua saída facilite o diálogo entre jornalistas e administração para que o jornal francês, que este ano assinala o 40.º aniversário, possa encontrar o seu caminho.

«Chers tous, ce mail pour vous prévenir que j’ai démissionné ce matin. J’espère de tout cœur que mon départ facilitera le dialogue qui doit être renoué pour sortir le journal de la crise qu’il traverse. J’ai passé à vos côtés trois années enrichissantes, enthousiasmantes et parfois rudes. Je ne les oublierai pas. Je vous souhaite le meilleur. Amitiés»

Disponível em: Nicolas Demorand démissionne de la présidence de «Libération»

Portugal com menos liberdade de imprensa

De acordo com o relatório anual da organização Repórteres sem Fronteiras, que que contempla 180 países, Portugal teve menos liberdade de imprensa no ano passado do que em 2012, ocupando, actualmente, o 30.º lugar do ranking, duas posições acima do que no ano anterior.

Na base da elaboração do documento está a avaliação de diversos indicadores, como pluralismo, transparência, legislação independência e segurança nos órgãos de comunicação social.

O topo da tabela continua a ser ocupado por países nórdicos, Finlândia (1.º), Holanda (2.º) e Noruega (3.º), enquanto os últimos lugares pertencem ao Turquemenistão (178.º), Coreia do Norte (179.º) e Eritreia (180.º).

Disponivel em: World Press Freedom Index 2014

Porque é «Dia Mundial da Rádio»

As redes sociais em 2014

http://www.tom.travel/2014/01/pinterest-twitter-facebook-instagram-google-linkedin-en-2014/

http://www.tom.travel/2014/01/pinterest-twitter-facebook-instagram-google-linkedin-en-2014/

Curso «Storytelling no Jornalismo»

O departamento de Ciências da Comunicação da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa vai promover o curso livre «Storytelling no Jornalismo – Jornalismo Narrativo na Era Digital».

A iniciativa decorre entre 18 de Março e 20 de Maio, será ministrada por António GranadoDora Santos Silva, ambos professores daquela instituição, e a propina varia entre os 120 e os 200 euros.

Mais informações:  Storytelling no jornalismo – Jornalismo Narrativo na Era Digital

O jornalismo desportivo em ano de Mundial

O Código Cambridge, um laboratório de estudos que incide a sua atenção sobre os media desportivos, lançou o livro digital «El periodismo deportivo en año mundialista».

A iniciativa reúne os depoimentos de 14 jornalistas especializados em desporto e pretende alertar para os desafios da profissão no ano em que o Mundo estará, seguramente, com olhos no Mundial de Futebol que se realiza no início de Verão no Brasil.

Download gratuito:“EL PERIODISMO DEPORTIVO EN AÑO MUNDIALISTA”

«Somos um jornal»

Libération, edição de 8 de Fevereiro de 2014

Libération, edição de 8 de Fevereiro de 2014

Os jornalistas do francês Libération deram um murro na mesa e insurgiram-se contra as intenções dos accionistas que pretendem transformar a redacção do órgão de comunicação social, que este ano comemora 40 anos de existência, numa espécie de espaço cultural e social.

Ao longo de cinco páginas são apresentadas as propostas da nova estrutura accionista, bem como a resposta da equipa de 290 trabalhadores ao projecto de remodelar a sede do jornal em Paris.

Apesar da greve que os trabalhadores cumpriram na última quinta-feira, o novo grupo detentor do título já apresentou o programa de mudança do jornal e pretendem instalar «um espaço cultural, uma área de conferências com estúdio de televisão, uma rádio, uma redacção digital, um restaurante, um bar e até uma incubadora de start up».

Disponivel em: «Nous Sommes un jornal»